Menu

Associados

Programa de gestão financeira da Anglo American auxilia na redução de contratos energéticos e contribui para estratégias da empresa

Imagem retirada de https://phi618.com.br/estatisticas-e-metas-como-ter-uma-gestao-financeira-de-sucesso/ Imagem retirada de https://phi618.com.br/estatisticas-e-metas-como-ter-uma-gestao-financeira-de-sucesso/

A produção global de cobre minerado caiu nos primeiros seis meses do ano em 1,4%, para quase 9,92 milhões de toneladas, principalmente devido a perturbações climáticas no maior produtor mundial, Chile, e à transição de duas minas na Indonésia para diferentes zonas de minério.A produção chilena caiu 2,5% com as fortes chuvas no norte do país e as notas mais baixas pesando sobre o resultado do país, mostra o último relatório do International Copper Study Group (ICSG) .

A produção de concentrado de cobre da Indonésia caiu 55% devido à transição de Grasberg para o espeleologia de blocos e a mina de Batu Hijau para a Fase 7.

Considerando as mudanças nas ações não declaradas e vinculadas na China, o déficit provavelmente totalizou 190.000 toneladas, informou o grupo.Isso significa que o mercado global de cobre refinado encerrou o primeiro semestre de 2019 com um déficit de oferta de cerca de 220.000 toneladas.

Trabalhar a questão energética é um dos maiores desafios das indústrias. Como uma empresa socialmente responsável, a Anglo American tem estratégias de sustentabilidade e inovação (Future Smart Mining) para desempenhar o melhor papel em suas atividades para com a sociedade, o que acarreta entre as suas preocupações a redução do uso de energia e da água. Até 2030, a Anglo American pretende melhorar a eficiência energética em até 30%.

Economia anual
Em linha com as estratégias da empresa, a área financeira implantou o projeto Gasto Certo, nascido do Programa de Transformação Cultural, em atendimento ao senso comum dos empregados de que fazer mais e melhor para redução de custos e ganhos com eficiência, que tem  como propósito consolidar a cultura de gestão de custos e de austeridade na empresa. Dois grandes pilares guiam o programa: agregação de valor e eficiência de contratos. Esse último, tem foco na busca por oportunidade de redução dos custos dos contratos, sem comprometer a segurança e qualidade nas entregas, garantindo o custo justo e contribuindo para o alcance das metas de custos. Na outra mão, o pilar de agregação de valor vem para guiar o negócio a evitar desperdícios, através do exercício de priorização de itens e controle disciplinado de custos, suportado pela metodologia de orçamento base zero (OBZ).  Dessa maneira, a meta se mantém controlada e a empresa consegue estipular padrões de redução.

A gestão sobre a contratação das demandas de energia é só uma parte do trabalho, pois os demais contratos e necessidades fixas e variáveis são monitoradas. Para se ter ideia, a parceria com o Gasto Certo mapeou iniciativas de melhoria nas funções exercidas que geraram ganhos em torno de R$ 20 milhões este ano. A gerente de planejamento e orçamento, Fabiana Machado, destacou a importância do programa.

“Todas as estratégias estabelecidas para o período, são incorporadas ao orçamento aprovado para o ano, o qual passa ser a meta de resultados. Todo mês, temos ferramentas para acompanhamento e projeção. É como monitoramos e ajustamos para atingimento da meta estabelecida. Energia é um dos principais custos dos nossos negócios, então, são contratos com valores significativos. Com a implantação do Gasto Certo, ganhamos motivação e visibilidade para a revisão dos contratos. É uma forma de otimizar todos os serviços e gerar eficiência”, disse.

É importante que todas as áreas pratiquem o senso de dono e a gestão de custos austera para que o negócio capture todas as oportunidades de eficiência de gastos e agregação de valor existentes.

“O ajuste do excedente ou déficit destes contratos é feito no mês seguinte ao consumo, por meio de negociações de curto prazo, permitindo um balanço entre contratação e consumo, sempre zerado mensalmente, buscando a máxima otimização”, explica Juliano Leal, coordenador de Energia e gestor do pacote no Gasto Certo.

fonte: Portal da Mineração

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados