Reciclagem será alavanca na redução de emissões de carbono

O reaproveitamento de produtos de alumínio tornou-se um dos principais pilares da Novelis

A reciclagem de produtos de alumínio tornou-se um dos principais pilares da Novelis. É a grande alavanca no plano de redução de emissões de carbono, diz Francisco Pires, presidente da divisão América do Sul. A companhia é controlada pela Hindalco Industries, gigante indiana de alumínio, cobre e outros metais vinculada ao grupo Aditya Birla.

No projeto de expansão foram adicionadas 100 mil toneladas em sua capacidade, chegando a 490 mil por ano. Para atingir esses objetivo, a empresa buscará reciclar mais latinhas de bebidas em alumínio que são geradas.

Esse volume passa a representar 72% do total de metal consumido na empresa para fabricação de chapas. As latas vêm de 14 centros próprios de coleta e de parcerias com outras empresas especializadas. No Brasil, 97% das latas usadas são recicladas, tornando-se latas novamente em 60 dias.

A Novelis, diz o executivo, está inaugurando seu 15º centro de coleta em São Gonçalo (RJ), tem trazido latas prensadas em fardos do México (5 bilhões de unidades) e estuda montar novos centros em países da America do Sul, já com planejado para o Chile.

A meta de redução de CO2 é de 30% até 2026, tendo como base as emissões equivalentes de 2016. “O plano é reduzir ao mesmo tempo que crescemos a produção. Por isso, o percentual e reciclagem terá de subir a 76% e compramos mais metal de fontes [fabricantes] com baixa emissão e que usem energia renovável, para atingir a meta.”

Para a fabricante, a reciclagem e o conteúdo reciclado têm sido, e continuarão a ser, peças fundamentais no plano de crescimento sustentável. Segundo Pires, a empresa está estendendo as regras aos fornecedores (Escopo 3) e à energia consumida (escopo 2). Já estuda comprar parcela de energia solar ou gerar em suas instalações.

A Novelis, informou Pires, definiu compromisso global de sustentabilidade de longo prazo para se tornar uma empresa neutra em emissões de carbono até 2050. O primeiro passo é alcançar os 30% até 2026. Os outros compromissos, também nessa data intermediária, são: baixar 20% o volume de resíduos para aterros; 10% de redução na intensidade de energia consumida e 10% de corte na água que consome em suas instalações.