Os tubos de cobre são comumente usados na indústria da construção para linhas de abastecimento de água e linhas de refrigerante em sistemas de heating, ventilation and air conditioning (HVAC). Eles podem ser fabricados com cobre mole ou rígido e oferecem excelente resistência à corrosão e conexões confiáveis. Os três tipos mais comuns de tubo de cobre usados são: tubo de cobre leve (classe E); tubo de cobre médio (classe A); e tubo de cobre pesado (classe I).

O diâmetro externo real (OD) do tipo de cobre rígido é sempre 1/8 polegada maior do que o tamanho nominal, ou como o tubo é chamado. Por exemplo, um tubo de cobre de “1/2 polegada” tem um diâmetro externo de 5/8 de polegada.

O diâmetro interno (DI) do tubo de cobre é determinado pela espessura da parede do tubo, que varia de acordo com o tipo de tubo. A pressão do fluido interna ou externa pode determinar o tipo de tubulação de cobre especificada para qualquer aplicação, a instalação, as condições de serviço e os requisitos do código de construção local.

Alguns tubos de cobre têm a parede mais espessa de todos os tipos comuns, sendo usado para distribuição de água, proteção contra incêndio, óleo, HVAC e muitas outras aplicações na indústria de construção. Recomenda-se que o pedido de compra contenha as seguintes informações: o diâmetro externo nominal do tubo; a espessura da parede ou classe; o comprimento do tubo (padrão ou especial); a quantidade desejada por diâmetro nominal, em metros ou em peças; o número da norma.

Devem ser fabricados de acordo com as normas técnicas para serem aceitos por qualquer regulamento de sistemas hidráulicos. Não queimam nem espalham a chama, além de não produzirem gases tóxicos. Portanto, não propagam o fogo e não produzem compostos orgânicos voláteis na instalação.

Podem ser unidos com conexões capilares que permitem poupar material e produzir uniões lisas, limpas, fortes e livres de vazamentos. Sua durabilidade é boa, já que o cobre não sofre corrosão com a água ou o ar e possui facilidade de transporte, por ser leve. Sua corrosão quase nula, já que é resistente a qualquer tipo de produto químico e possui infinitas possibilidades e numerosas vantagens para uso hidráulico.

A NBR 13206 de 05/2010 – Tubo de cobre leve, médio e pesado, sem costura, para condução de fluidos – Requisitos especifica os requisitos para tubos de cobre leve, médio e pesado, sem costura, fornecidos em unidades retas e usados para condução de água fria, água quente, gases combustíveis, gases refrigerantes, gases medicinais e outros fluidos, em instalações residenciais, comerciais e industriais. Os tubos devem ser fabricados com o tipo de cobre indicado na tabela abaixo.

Os tubos devem ser produzidos por processo a quente e devem conservar uma seção contínua em todas as operações efetuadas. Devem ser acabados a frio por trefilação, a fim de se obterem as propriedades especificadas. Os tubos devem ser fornecidos encruados em peças retas. Eles devem ser limpos interna e externamente e devem ser isentos de defeitos como fissuras e trincas.

Recomenda-se que no armazenamento e estocagem dos tubos sejam tomados os seguintes cuidados: estocar os tubos em locais limpos e secos; não deixar os tubos em contato direto com o solo; não deixar os tubos de cobre em contato com tubos de aço ou ferro; não deixar que os tubos entrem em contato com produtos químicos e fiquem expostos num mesmo local que tais materiais; evitar choques mecânicos nos tubos que possam ovalizá-los ou amassá-los. O diâmetro externo e a espessura da parede dos tubos devem, em qualquer ponto, estar de acordo com as tabelas abaixo, quando ensaiados conforme a NBR 15757.

Os tubos não devem apresentar defeitos de fabricação quando submetidos ao ensaio de correntes induzidas ou ensaio de pressão hidrostática. Fica a critério do fabricante a seleção de um dos métodos de ensaio.

Os tubos submetidos ao ensaio por correntes induzidas, conforme a NBR 15757, devem atender ao seguinte: os tubos não devem fazer disparar o dispositivo de sinalização do aparelho; os tubos que produzirem sinais irrelevantes devido à presença de umidade, sujeira, marcas de manuseio visíveis e identificáveis podem ser recondicionados e reensaiados. Os tubos submetidos ao ensaio hidrostático, conforme a NBR 15757, não devem apresentar vazamento, quando ensaiados a uma pressão interna sufi ciente para produzir no material um esforço tangencial de 62 MPa durante 1 min.

Os tubos devem ser marcados em baixo relevo e com tinta na cor preta, de forma permanente, clara e legível, com as seguintes informações: nome ou marca comercial do fabricante; diâmetro externo nominal e espessura da parede do tubo; classe do tubo (classe E, classe A ou classe I); ano e trimestre da fabricação; número desta norma. A marcação em baixo relevo e com tinta deve ser feita em intervalos não superiores a 500 mm e 1.000 mm, respectivamente. Outras informações podem ser marcadas, a critério do fabricante.

Os tubos devem ser separados segundo dimensões e classe, e devem ser embalados de tal maneira que não sofram danos durante o manuseio e o transporte. Cada embalagem deve conter no mínimo as seguintes informações: dimensões dos tubos; nome ou marca do fabricante; número do pedido de compra (o Anexo B fornece uma relação de dados para as informações de compra).

O cobre é um material com elevado coeficiente de transferência de calor (ele funde a 1.083ºC) quando comparado a outros materiais disponíveis no mercado – como o alumínio. Isso permite que ele não se deforme, o que é bastante positivo em serviços que envolvem resfriamento/aquecimento, e torna todo o processo mais rápido, seguro e aumenta a produtividade. Assim, a tubulação de cobre costuma ser mais resistente e com maior vida útil. Além disso, em caso de degradação, os tubos podem ser corrigidos através de solda – o que não acontece com outras matérias-primas mais populares, como o alumínio. Evitar que o material se oxide é uma preocupação constante quando se trata de tubulações, já que esse problema pode resultar no vazamento de fluídos e gerar um desperdício para a empresa. O cobre é o metal com menor chance de oxidar. Ainda assim, é importante manter a tubulação protegida com o passar do tempo, principalmente se estiver em contato com o ar atmosférico ou em locais com enxofre, amônia, metais pesados e sais oxidantes. A tubulação de cobre é a mais indicada para água potável e projetos medicinais, pois suas propriedades de higiene são capazes de combater e inibir a proliferação de microrganismos e reduzir riscos de infecção. O cobre é um metal 100% reciclável que pode ser reutilizado sem a perda de sua durabilidade e desempenho. O material usado para as instalações deve ser manuseado de forma que preserve suas características originais. É importante que fiquem em um local limpo, arejado e sem umidade – isso inclusive faz com que o produto seja mais durável e não oxide. Se as condições do ambiente não forem possíveis de seguir as especificações citadas anteriormente, é importante que os tubos fiquem dispostos com uma inclinação de pelo menos 5º. Não é recomendado também que os tubos sejam cobertos com lonas plásticas, pois isso pode acumular umidade. Além disso, antes de utilizar o material, é fundamental verificar se a higienização está em dia. Saiba quais são os parâmetros dos tubos de cobre leve, médio e pesado, sem costura, fornecidos em unidades retas e usados para condução de água fria, água quente, gases combustíveis, gases refrigerantes, gases medicinais e outros fluidos, em instalações residenciais, comerciais e industriais.