Boas Festas!

Boas Festas!

Comunicamos a todos que a ABCobre estará em recesso entre os dias 23/12/2022 e 01/01/2023.

Venda de carros elétricos bate recorde nos EUA

Consumidores dos Estados Unidos compraram quase 300.000 novos veículos elétricos a bateria (BEVs, na sigla em inglês) no segundo trimestre – um novo recorde, de acordo com levantamento

Cox Automotive prevê que as vendas de veículos totalmente elétricos nos EUA quebrarão a barreira de 1 milhão em 2023 pela primeira vez – Pexels

Mais do que nunca compradores dos Estados Unidos (EUA) estão optando por carros elétricos, segundo dados de vendas da Cox Automotive.

Embora as vendas de veículos elétricos tenham crescido de forma saudável nos últimos dois anos, essa tendência se acelerou em 2023.

Os consumidores dos EUA compraram quase 300.000 novos veículos elétricos a bateria (BEVs, na sigla em inglês) no segundo trimestre – um novo recorde, de acordo com a Cox.

O número não é só 48% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, mas também é maior que a quantidade total vendida em todo o ano de 2019.

Isso sem contar as vendas de veículos elétricos híbridos plug-in (PHEVs, na sigla em inglês), que podem funcionar com gás ou eletricidade e uma bateria que pode ser recarregada por um cabo ou um gerador alimentado pelo motor.

A Cox Automotive agora prevê que as vendas de veículos totalmente elétricos nos EUA quebrarão a barreira de 1 milhão em 2023 pela primeira vez.

Mais de 557.000 BEVs já foram vendidos até agora este ano até o final do segundo trimestre.

Especialistas dizem que as vendas de veículos elétricos estão sendo impulsionadas por uma série de fatores, como cortes de preços, uma variedade maior de veículos disponíveis e mais investimentos do governo e da manufatura.

“É uma tempestade perfeita de todas essas coisas se juntando”, disse Stephanie Valdez-Streaty, diretora de insights da indústria da Cox Automotive.

A Lei de Redução da Inflação (IRA, na sigla em inglês) também está impulsionando o crescimento das vendas, disse Valdez-Streaty à CNN.

Por meio do IRA, o governo federal começou a oferecer créditos fiscais de até US$ 7.500 em veículos elétricos no início do ano, parcialmente com base na origem e montagem dos carros e seus componentes elétricos.

Apenas 18 modelos de veículos elétricos dos 97 no mercado atualmente se qualificam para esse crédito fiscal, de acordo com a Alliance for Automotive Innovation, uma associação comercial sem fins lucrativos.

Os carros elétricos mais vendidos deste ano – o Tesla Model 3, Tesla Model Y, Chevrolet Bolt, Rivian R1T e Volkswagen ID.4 – se qualificam para pelo menos parte do crédito fiscal do IRA, disse Valdez-Streaty.

“O mercado de veículos elétricos está entrando em um período de transição”, disse ela.

Mais da metade dos consumidores estavam pensando em comprar um BEV novo ou usado no próximo ano, de acordo com uma pesquisa da Cox Automotive divulgada em junho. Apenas 38% dos consumidores disseram o mesmo em 2021.

“Tivemos adesões iniciais e, agora, a grande questão é como começar a aumentar as vendas? Como convertemos essas pessoas que estão pensando em comprar em compradores?” disse Valdez-Streaty.

As projeções de vendas da Administração de Informações de Energia (EIA, na sigla em inglês) prevêem que converter os interesses de compradores para um mercado majoritariamente de carros elétricos levará várias décadas.

Supondo que as leis e regulamentos atuais permaneçam inalterados, a porcentagem anual de BEVs e PHEVs recém-adquiridos se estabiliza em aproximadamente 17-19% de 2035 até pelo menos 2050, de acordo com as projeções da EIA.

Enquanto o interesse do consumidor em carros elétricos é sensível ao preço da gasolina, a agência prevê uma participação de mercado de veículos elétricos de menos de 30% mesmo em um cenário com preços de petróleo tão altos quanto US$ 190 por barril.

“O preço é a maior barreira para os consumidores”, disse Valdez-Streaty.

Apesar dos cortes acentuados de preços da Tesla e da Ford este ano, tornar-se elétrico ainda significa pagar um valor maio em relação ao modelo médio movido a gasolina.

O preço médio do veículo elétrico em julho foi de US$ 53.469, de acordo com Kelley Blue Book, contra um preço médio de US$ 48.334 em todos os veículos.

Na pesquisa de consumo de Cox, a segunda maior preocupação para os que consideram comprar um veículo elétrico depois do preço foi a falta de acesso a estações de carregamento.

O alcance das baterias melhorou nos últimos anos – o número de modelos elétricos com alcance de pelo menos 300 milhas aumentou de 13 em 2021 para 51 em 2023, de acordo com o Departamento de Energia dos EUA.

Mas o número de estações de carregamento ainda está aquém do necessário para apoiar uma adoção em larga escala de veículos elétricos.

No final do primeiro trimestre de 2023, havia cerca de 134.000 estações de recarga e 3,34 milhões de veículos elétricos nas estradas em todo o país, de acordo com o mais recente relatório trimestral de veículos elétricos da Alliance for Automotive Innovation (AAI).

Para atender a uma proporção de carregador para carro de 7.1 – que a Comissão de Energia da Califórnia concluiu que seria necessária para apoiar a meta do estado de 5 milhões de veículos elétricos na estrada até 2030 – todo o país teria que configurar dois e meio vezes o número atual de carregadores disponíveis, disse o relatório da AAI.

As disparidades geográficas também são generalizadas, disse o relatório. Quase 30% de toda a infraestrutura de carregamento público do país está na Califórnia.

A participação de mercado de novos carros elétricos também é muito maior na Califórnia, de acordo com os dados de vendas do estado da AAI.

O Golden State – juntamente com o Distrito de Columbia – é o único mercado onde os veículos elétricos representaram mais de um quinto de todas as vendas de veículos leves em março, o mês mais recente disponível.

Garantir que a infraestrutura de carregamento esteja instalada e operacional será importante para apoiar o crescimento das vendas de veículos elétricos daqui para frente, disse Valdez-Streaty. Assim como os incentivos estaduais e nacionais.

No ano passado, o Conselho de Recursos Aéreos da Califórnia (CARB, na sigla em inglês) votou para proibir as vendas de novos carros movidos a gasolina até 2035.

Pelo menos 17 outros estados concordaram em seguir o exemplo da Califórnia.

“Será interessante ver nos próximos anos como as vendas começarão a aumentar com esses estados seguindo os regulamentos do CARB”, disse Valdez-Streaty.